Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

Eternidade

ETERNIDADE

 

 

Considera-se eterno tudo o que não tem princípio nem fim. Se não tem principio, não tem origem, não nasceu, não foi criado nem inventado. E se não tem fim, não tem destino, não morre, não se extingue e não desaparece. Logo, se não tem uma nem outra coisa, também não pode ter existência. E não existe.

A eternidade realmente não existe. Não existe porque tudo tem princípio e fim. Ainda que o princípio e o fim, sejam indefiníveis por se perderem no infinito, ou que sejam quase simultâneos, eles existem, e a própria existência existe entre eles.

Tudo existe entre um princípio e um fim. Podem ser eternamente – humanamente — desconhecidos, mas existem. A existência de alguma coisa prova a existência do seu princípio e do seu fim. A não existência de principio e de fim prova a inexistência da coisa.

A eternidade, ou tudo o que não teve princípio e é igualmente infinito, apenas existe psicologicamente, em termos de lógica científica necessária ao abstraccionismo da racionalidade.

Se dividirmos dez por três, obteremos um número infinito (3,333...). A divisão deste número vai até à eternidade, não tem fim, mas é impraticável. A sua aplicação prática ou é arredondada ou perde-se para sempre, que é o mesmo que lhe atribuir um fim.

Na vida como na matemática, a eternidade só existe teoricamente. É uma impossibilidade prática real. Quando alguém diz que alguma coisa existe eternamente ou para sempre, está-se a referir a uma eternidade relativa. Existe até um fim indeterminado ou existe para sempre enquanto outra coisa existir, depois acaba também.

A eternidade é também usada pela religião de forma a dar um sentido à vida que é finita, tornando-a infinita em planos espirituais. Neste aspecto poderia dizer-se que a eternidade existe, por ser puramente espiritual. Mas o espírito só existe porque existe um corpo. Se o corpo morre, o espírito deixa de existir, e a eternidade com ele.

A eternidade só existe em imaginação. Tudo o que é eterno não existe real e naturalmente, porque tudo o que existe real e naturalmente tem fim, como teve princípio.

 

 

 


publicado por sl às 18:45
link do post | comentar | favorito
|

temas recentes

Novo Blog

Linguagem

Liberdade

Lei

Justiça

Inteligência

Instinto

Informação

Inconsciente

Imaginação

Ilusão

Igreja

Identidade

Ideia

Homem

História

Glória

Futuro

Filosofia

Felicidade

Fantasia

Família

Fama

Existência

Evolução

Eternidade

Espírito

Esperança

Espaço

Escrita

Equilíbrio

Energia

Emoções

Educação

Economia

Dor

Dinheiro

Deus

Destino

Desporto

Desejo

Cultura

Consciência

Conhecimento

Comunidade

Comunicação

Civilização

Ciência

Cérebro

arquivos

Setembro 2010

Março 2010

Novembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

mais sobre mim

tags

todas as tags

pesquisar

 
Se gostava de obter todos os textos de A a Z, envie o seu pedido para viaverita@sapo.pt!
blogs SAPO

subscrever feeds