Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008

Glória

GLÓRIA

 

 

A glória um dos muitos valores sociais criados pela consciência colectiva que surge na sociedade humana, e que serve para regrar o relacionamento de um indivíduo para com a sua sociedade e desta para como indivíduo.

Entre valores de características diferentes, as sociedades humanas são compostas por muitos valores congéneres à glória, tais como: reputação, mérito, honra, louvor, virtude, estima, apreço, orgulho, vaidade, brio, consideração, crédito, distinção, dignidade, respeito, veneração, lealdade, carácter, fidelidade, honestidade, etc; etc.

Originados no indivíduo e usados nas relações com a sociedade – vaidade — ou originados na sociedade e usados nas relações com os indivíduos — veneração — todos estes valores estão presentes em qualquer forma de relações social, acumulados aos respectivos valores de cada tipo de relação — comercial, profissional, afectiva, política, religiosa, etc.

Todos os seres humanos nascem, crescem e vivem inseridos numa sociedade. Essa realidade obriga-os a adoptar regras de conduta que se manifestam pelos seus actos, pensamentos, atitudes e comportamentos, e que são o seu modo de ser e de estar nessa sociedade, que, por sua vez, vai avaliar tal modo de ser e de estar, e vai conferir aceitação ou rejeição conforme os padrões pessoais destes valores estejam ou não de acordo com os padrões colectivos.

Todos estes valores são criados pela consciência de cada um, e inconscientemente por todos. Os ideais de cada um, quando reunidos, formam o ideal social, que é distinto de cada ideal individual. Cada indivíduo forma os seus valores inspirando-se na sociedade, e a sociedade forma os seus valores reunindo os mais consensuais ou relevantes de cada indivíduo. Os ideais ou valores sociais são formados pela reciprocidade existente entre o indivíduo e a sociedade.

São valores subjectivos, criados pela consciência, e exclusivamente humanos. E para cada graduação positiva existe um equivalente negativo — a fidelidade só existe porque existe a infidelidade. Todos servem assim para valorizar ou desvalorizar a “cotação” que cada indivíduo tem na sociedade, podendo-o elevar até à heroicidade e afundar até à miserabilidade.

Cada sociedade tem estes valores padronizados de forma diversa devido à sua subjectividade — o mesmo acto pode ser motivo de honra na América e motivo de desonra na China. Cada indivíduo terá que conhecer os modelos que cada sociedade concebe, e adaptar-se a eles para que não seja excluído. Cada sociedade é o que é, e só se transforma com a mudança das mentalidades de várias gerações consecutivas e no mesmo sentido. E cada indivíduo é ele próprio e a sua consciência. Se existir discordância entre a sua consciência e a consciência colectiva, será ele o perdedor e o sofredor, porque é inferior perante os outros, ainda que a sua posição seja a mais correcta realmente. Por esta razão, nas relações concretas entre o indivíduo e a sociedade, estão constantemente a existir conflitos e injustiças, que podem causar tanto uma ovação não merecida como uma punição inocente.

Nenhum ser humano pode ter uma vida normal, com dignidade, vivendo isolado. A vida em grupo é natural até nas outras espécies. Mas a vida social e civilizada apenas existe nos humanos. Só os humanos possuem valores que sobrestimam e subestimam, e que são inerentes à sua superioridade inteligente. Quando usados sem extremismos no sentido de igualizar as concepções ideológicas entre o indivíduo e a sociedade, de forma a que cada um cresça com todos, porque todos contribuem para o desenvolvimento de cada um, e de forma a que todos cresçam com cada um, porque cada um contribui para o desenvolvimento de todos, a evolução torna-se inevitável, e o homem atinge a glória ambicionada e merecida.

E a regra é bem popular, o problema é fazer aos outros só o que gostávamos que nos fizessem a nós.

 

 

 

 

tags:

publicado por sl às 00:59
link do post | comentar | favorito
|

temas recentes

Novo Blog

Linguagem

Liberdade

Lei

Justiça

Inteligência

Instinto

Informação

Inconsciente

Imaginação

Ilusão

Igreja

Identidade

Ideia

Homem

História

Glória

Futuro

Filosofia

Felicidade

Fantasia

Família

Fama

Existência

Evolução

Eternidade

Espírito

Esperança

Espaço

Escrita

Equilíbrio

Energia

Emoções

Educação

Economia

Dor

Dinheiro

Deus

Destino

Desporto

Desejo

Cultura

Consciência

Conhecimento

Comunidade

Comunicação

Civilização

Ciência

Cérebro

arquivos

Setembro 2010

Março 2010

Novembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

mais sobre mim


ver perfil

seguir perfil

. 3 seguidores

tags

todas as tags

pesquisar

 
Se gostava de obter todos os textos de A a Z, envie o seu pedido para viaverita@sapo.pt!
SAPO Blogs

subscrever feeds