Sábado, 2 de Agosto de 2008

Igreja

 

IGREJA

 

 

 

É igreja tanto o monumento sumptuoso construído com minuciosidades arquitectónicas por ser dedicado a entidades divinas, como a assembleia que o usa como local de encontro espiritual e de manifestação de fé religiosa.

A igreja nasceu com o cristianismo, mas por ser este o fundamento de todas as religiões adoptadas do mundo civilizado, passou também a ser considerada quando em referências a religiões não cristãs e seitas.

Assim, uma igreja, normalmente, necessita de um fundador, que terá que ser carismático para atrair discípulos; necessita de discípulos que seguem o fundador e difundem as suas ideologias; necessita de uma ordem hierárquica entre os seus membros; e necessita ainda de meios materiais, móveis e imóveis, para a realização de rituais. Isto, para além da crença em algo de supranatural, que é o seu princípio fundamental.

Os rituais são parte integrante de todas as igrejas porque todas são constituídas com base em características de essências místicas e míticas. O carácter misterioso e enigmático de uma igreja compreende a existência de algo que não é revelado, em todo ou em parte, e a todos ou a parte, dos membros que a compõem.

Uma igreja pode ser fundada por idolatria, sendo as qualidades superiores atribuídas ao ídolo pelos seus adoradores, que podem não ser reconhecidas pelo próprio, ou podem ser reconhecidas de uma forma crente ou descrente, ou podem ainda ser reconhecidas pelo próprio ou pelos seguidores de uma forma interesseira. Pode ser criada por uma reunião de circunstâncias que levam à sua criação devido à suposta necessidade do ser humano acreditar em algo para além dele próprio. E pode ainda ser fundada por feiticismo ou artes mágicas, como acontece nas sociedades mais primitivas devido à falta de conhecimentos científicos.

A validação da igreja, e obviamente a validação de tudo o que a ela diz respeito, como a religião, o culto, a fé, o sobrenatural, o milagre, a crença, o sagrado, a oração, a divindade e até Deus, explica-se por razões naturais e históricas, e por razões socioeconómicas.

Qualquer acontecimento cujas causas e consequências não sejam do conhecimento consciente de quem o presencia, é atribuído ao “além” por razões biológicas e humanas. Biológicas porque todos os animais e o homem com tal, reagem a tudo no sentido de salvaguardar a própria vida. E humanas porque o homem, excepcionalmente em relação aos outros animais, sente necessidade de tudo compreender, mas como a sua capacidade de raciocínio é limitada, apesar de evolutiva, então ele explica irracionalmente o que não consegue explicar racionalmente. E vai crescendo, num processo lento, que naturalmente consiste no aumento da sua capacidade intelectual, e culturalmente consiste numa cada vez maior compreensão lógica e científica do mundo que o rodeia, afastando-se cada vez mais da religiosidade e dos rituais místicos que o caracterizaram no passado, mas que ainda estão bem enraizados actualmente.

O valor da igreja foi forte no passado devido ao poder que dava a quem se encontrava no topo da hierarquia. Os regimes político-religiosos caracterizavam-se pelo uso da persuasão e força física por parte dos governantes para que as suas vontades e necessidades fossem satisfeitas pelos governados. E estes, por sua vez, devido à ignorância e falta de liberdade limitavam-se a obedecer e a respeitar, por imposição, doutrinas que, no cristianismo, por exemplo, fomentavam a pobreza, castidade e obediência.

A igreja sempre deu conforto espiritual aos crentes, porque tanto na oração, no silêncio das catedrais, como na participação na vida eclesiástica e nas benditas obras de caridade, e servindo como fonte de inspiração para criação e manifestação de grandiosas obras artísticas, e principalmente como fonte de fé, para acreditar na existência de algo poderoso que acompanha, ajuda e protege, e que dá uma explicação e um sentido para a misteriosa vida — ainda que não compreensível à luz da ciência — proporciona com tudo isto e muito mais, condições que satisfazem as necessidades psicológicas humanas.

No entanto, serviu também de impedimento ao desenvolvimento intelectual e da sabedoria humana, porque a actividade intelectual tornou-se limitada por ser contemplativa e por não permitir expansão e diversidade para além da própria religião.

A história da igreja e a história humana evoluem assim com laços que estritamente as unem e transformam numa só. Se outra fosse a evolução outra seria a história, mas é esta, e é esta a que temos que compreender e aceitar.

 

tags:

publicado por sl às 01:26
link do post | comentar | favorito
|

temas recentes

Novo Blog

Linguagem

Liberdade

Lei

Justiça

Inteligência

Instinto

Informação

Inconsciente

Imaginação

Ilusão

Igreja

Identidade

Ideia

Homem

História

Glória

Futuro

Filosofia

Felicidade

Fantasia

Família

Fama

Existência

Evolução

Eternidade

Espírito

Esperança

Espaço

Escrita

Equilíbrio

Energia

Emoções

Educação

Economia

Dor

Dinheiro

Deus

Destino

Desporto

Desejo

Cultura

Consciência

Conhecimento

Comunidade

Comunicação

Civilização

Ciência

Cérebro

arquivos

Setembro 2010

Março 2010

Novembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

mais sobre mim


ver perfil

seguir perfil

. 3 seguidores

tags

todas as tags

pesquisar

 
Se gostava de obter todos os textos de A a Z, envie o seu pedido para viaverita@sapo.pt!
SAPO Blogs

subscrever feeds