Domingo, 12 de Outubro de 2008

Imaginação

 

IMAGINAÇÃO

 

 

A imaginação é uma capacidade intelectual existente no homem, que consiste em seleccionar partes de registos existentes na memória, e de as reunir e organizar de forma a criar uma nova existência.

Para existir imaginação é necessário primeiro observar — através dos sentidos —, depois memorizar o que se observou — registar organizadamente —, depois dividir por partes as coisas memorizadas, e por fim reunir as partes numa nova organização para obter uma nova criação.

Todo este processo da imaginação é um processo mental, que pode ser parcialmente inconsciente — quando registamos informação sem qualquer controle consciente que mais tarde usamos de uma forma consciente ao recorrermos à memória —, e pode ser quase só consciente — quando estudamos para aprender e criamos como resultado da aprendizagem.

A memória é um conjunto infinito de dados que são registados por dois processos: ou muita informação inconsciente e aleatória, ou pouca informação consciente e estruturada. Imaginar é construir a partir da memória — por exemplo: se uma pessoa vê uma gaivota, um automóvel, e um moinho de vento, fica com estes três elementos registados na memória, e pode retirar em sonhos (desde que posteriormente se recorde deles) ou em pensamentos; as asas e o modelo do corpo da gaivota, as rodas e o motor do automóvel, e se o vento produz movimento na hélice do moinho, também a hélice do moinho produzirá movimento no vento, ou movimento no próprio moinho, e reestruturando estas partes poderá imaginar um avião. — Toda a imaginação funciona assim. Quantos mais elementos estiverem registados na memória e quanto mais forem trabalhados, maior será a imaginação.

A imaginação consiste em pegar em pedaços de informação da memória, e trazê-los à consciência para serem trabalhados. Estes procedimentos mentais são exclusivos do homem porque só o homem tem um cérebro desenvolvido para permitir tal possibilidade.

Assim, imaginar não é criar a partir do nada, mas criar a partir da memória, que como existe apenas mentalmente não pode ser visível nem mensurável, mas a sua existência é a base de todas as faculdades exclusivamente humanas, como a consciência, a inteligência, a criatividade e a imaginação.

A imaginação é um dos motores da evolução humana e está presente em todos os passos evolutivos. Sem imaginação apenas se observava e gravava a observação, e nada se construía a partir dela, artificialmente. Apenas existiria a evolução da vida natural, animal e vegetal. Com a imaginação é possível criar coisas novas a partir das existentes. A natureza comporta tudo e tudo cria de uma forma complexa e desconhecida para o homem, que por um lado é divinamente admirável — repare-se nas belas flores — e por outro lado é terrivelmente catastrófica — repare-se nas epidemias, tempestades e terramotos. A beleza e o terror das forças naturais atribuídas por convicção ao sobrenatural e ao acaso pertencem ao desconhecimento humano. O homem, com a sua imaginação, conseguiu criar um novo mundo — artificial. Esse mundo artificial está suspenso na natureza. A imaginação é ilimitada mas a sua concretização é limitada pela natureza. O valor da imaginação só é significativo quando pode ser aplicado na prática. Para ser aplicado tem que ser testado, e se as leis da natureza não permitirem essa aplicação, a coisa imaginada não passa daí -pode-se imaginar uma casa suspensa no ar, mas a natureza não permite a sua construção. A evolução, que a imaginação originou e direcciona, só seguirá até onde a natureza permitir. A natureza impõe limites, mas esses limites são constantemente alargados devido à criatividade humana, como se existisse uma luta entre a mãe-natureza que domina e o filho-homem que quer dominar.

O mundo artificial que a imaginação criou, partindo primeiro só da própria natureza, e depois partindo já da artificialidade, é um mundo que embora dentro dos limites naturais é totalmente diferente do natural.

A imaginação possibilitou a compreensão do mundo natural, primeiro religiosamente e depois racionalmente. Possibilitou a ascensão do homem, por conseguir melhor protecção e domínio perante os outros seres vivos. Possibilitou que o homem deixasse de ser apenas animal e passasse a ser Homem, com valores superiores de respeitabilidade, sabedoria e cultura. E possibilitou que tivesse uma vida com dignidade e espiritualidade.

Mas esse mundo artificial, produto da imaginação, é um mundo frágil. Frágil porque o homem quando imagina nunca pode prever as consequências da realização dessa imaginação, e pode chocar com os limites da própria natureza, ou da anterior artificialidade e originar acidentes. Porque ninguém conduz o homem no caminho da evolução. É ele que se autodirecciona com base na experiência do passado. E se com imaginação construiu coisas admiráveis que não existiam naturalmente — os transportes, por exemplo — também construiu coisas terrivelmente destruidoras.

A imaginação é assim uma criação da natureza no homem, para facultar a evolução do mesmo, dando seguimento à própria evolução natural. É controlada pela natureza não sendo possível ao homem conhecer esses limites aplicativos, apesar de ser ilimitada conceptualmente.

E o mais importante não é imaginar, mas criar com imaginação.

 

 

 


publicado por sl às 01:39
link do post | comentar | favorito
|

temas recentes

Novo Blog

Linguagem

Liberdade

Lei

Justiça

Inteligência

Instinto

Informação

Inconsciente

Imaginação

Ilusão

Igreja

Identidade

Ideia

Homem

História

Glória

Futuro

Filosofia

Felicidade

Fantasia

Família

Fama

Existência

Evolução

Eternidade

Espírito

Esperança

Espaço

Escrita

Equilíbrio

Energia

Emoções

Educação

Economia

Dor

Dinheiro

Deus

Destino

Desporto

Desejo

Cultura

Consciência

Conhecimento

Comunidade

Comunicação

Civilização

Ciência

Cérebro

arquivos

Setembro 2010

Março 2010

Novembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

mais sobre mim

tags

todas as tags

pesquisar

 
Se gostava de obter todos os textos de A a Z, envie o seu pedido para viaverita@sapo.pt!
blogs SAPO

subscrever feeds