Sábado, 14 de Abril de 2007

Armamento

ARMAMENTO

 

 

O negócio de armas é o maior negócio do mundo. Os maiores e melhores fabricantes de armas são os que mais enriquecerão. Quem possuir as armas mais poderosas possuirá o maior poder.

Desde o princípio dos tempos que o homem usa as armas como um dos seus mais indispensáveis complementos. Um homem é ele e a sua arma. Muitas filosofias de vida permitem o abandono de tudo, excepto da arma pessoal. Porque as armas dão o poder e o ser.

As armas sempre acompanharam o homem. Ainda o homem não sabia que era homem, ainda não tinha consciência de si próprio, e já possuía e usava armas. Foram inclusive as armas que permitiram ao homem a sua ascensão perante os demais animais, porque devido à sua capacidade de criação e uso das mesmas, conseguiu não só defender-se deles como também domina-los, conquistando poder sobre eles.

A inteligência humana possibilitou a criação de armas e com elas a sua evolução. Por um lado, muitas das grandes descobertas que revolucionaram o mundo da ciência, da técnica, e da medicina, foram feitas nas sombras ou por reflexos casuais e premeditados, das intenções e práticas dos laboratórios militares, cujo objectivo principal era o de criar novas e mais potentes armas. Por outro lado, cada nova batalha era vencida pelos possuidores de melhores armas, e cada novo poder era o poder dos mais evoluídos. Sabendo que a história humana é feita de lutas, batalhas e guerras, facilmente reconhecemos a relação entre a evolução humana e o armamento.

Desde sempre, individual ou colectivamente, o homem foi um ser ávido de poder. O poder é normalmente desejado por todos, mas só alguns o podem possuir. Pois para haver poder de um lado terá que haver submissão do outro. Como naturalmente somos todos relativamente iguais, só artificialmente uns conseguem poder para dominar os outros. As armas estão sempre do lado de quem possui o poder, ou vice-versa.

Com armamento consegue-se poder, que é muitas vezes confundido com respeito, porque as armas matam. E como as armas matam, quem as não possui, tem medo delas, submetendo-se às ordens de quem as possui. E quem as possui, como pode matar, sobreleva-se perante quem as não possui.

A evolução balística, ou do armamento, precedeu todas as outras áreas evolucionais. No entanto, no mundo moderno e contemporâneo, em cujas revoluções alteraram o rumo da história no sentido de valorizar os direitos humanos com igualdade e liberdade, as novas formas de poder e respeito mútuo obtido pelas recentes hierarquias sociais democráticas, começam a ser uma realidade.

O poder dos novos regimes livres e democráticos é conquistado agora com novas armas, que são mais suaves, não atentam directamente contra a vida, mas decidem o destino dos povos, tais como a demagogia, a tecnologia, a publicidade, a comunicação social e todos os fazedores de opiniões ou controladores de influências.

Estas novas armas são mais humanizadas e mais racionalizadas, e embora funcionem muitas vezes apoiadas em armas concretas, com elas só se alcança o poder numa sociedade civilizada, com paz e estabilidade.

O civismo, a estabilidade e a paz, apenas são uma realidade em alguns países, e por vezes uma realidade ainda frágil devido aos arquétipos e axiomas do passado. Por isso, a investigação, produção, comercialização e aquisição de equipamento bélico, são ainda as mais poderosas formas de obtenção de poder, quer directamente, em regimes militares ou militarizados com o seu uso concreto e directo, quer indirectamente, com a sua produção extremamente lucrativa.

As armas são a garantia de segurança de uma pessoa e de um país, e a segurança é uma das necessidades elementares para o desenvolvimento individual e colectivo. Enquanto o homem sentir qualquer espécie de ameaça à sua integridade, possuirá armamento. E só se sentirá seguro quando conhecer totalmente o terreno que pisa, o que, se não for impossível, será muito difícil.

 

 


publicado por sl às 00:58
link do post | comentar | favorito
|

temas recentes

Novo Blog

Linguagem

Liberdade

Lei

Justiça

Inteligência

Instinto

Informação

Inconsciente

Imaginação

Ilusão

Igreja

Identidade

Ideia

Homem

História

Glória

Futuro

Filosofia

Felicidade

Fantasia

Família

Fama

Existência

Evolução

Eternidade

Espírito

Esperança

Espaço

Escrita

Equilíbrio

Energia

Emoções

Educação

Economia

Dor

Dinheiro

Deus

Destino

Desporto

Desejo

Cultura

Consciência

Conhecimento

Comunidade

Comunicação

Civilização

Ciência

Cérebro

arquivos

Setembro 2010

Março 2010

Novembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

mais sobre mim

tags

todas as tags

pesquisar

 
Se gostava de obter todos os textos de A a Z, envie o seu pedido para viaverita@sapo.pt!
blogs SAPO

subscrever feeds