Domingo, 27 de Maio de 2007

Cérebro

CÉREBRO

 

 

O cérebro é uma pequena parte do corpo humano onde se localiza a sede do sistema organizado mais complexo do universo, e o maior desafio da ciência. O homem tem mais conhecimentos das leis que regem o universo do que como funciona o seu próprio cérebro.

O cérebro é o elemento essencial que distingue o homem dos outros animais. E pela quantidade de massa encefálica e principalmente pela complexidade do seu funcionamento, é que o homem de distanciou dos outros animais, criando um mundo novo — cultural, religioso, psicológico e tecnológico — que lhe proporcionou um enorme nível de superioridade sobre todos os outros seres vivos e sobre parte da natureza.

A qualidade de humano está precisamente na existência de um cérebro superior. A inteligência está no cérebro. O seu tamanho, peso e complexidade são características determinantes. O homem é o ser superior por ter um cérebro superior em relação aos outros animais, e logo, demais seres vivos. É por isso considerado — embora por si próprio — o único animal racional devido à diferença existente entre o seu próprio cérebro e o cérebro dos outros animais, dotados também de inteligência. Os animais irracionais também têm cérebro e a inteligência existe em cada animal conforme seja a estrutura do seu cérebro, mas, mesmo os animais irracionais mais inteligentes — cão, cavalo, golfinho — estão muito aquém da inteligência racional humana, e por essa razão, quando se fala em cérebro tem-se presente apenas o cérebro humano. O órgão que torna o homem um ser por excelência em toda a natureza.

O cérebro humano é um órgão do corpo humano como todos os outros, mas com uma função especial: raciocinar ou pensar. O homem pensa porque tem cérebro e o cérebro existe no homem para pensar, pois o homem sem cérebro não é homem, e o cérebro sem homem (corpo) não pensa.

Só se pode entender o cérebro tendo em conta todo o sistema nervoso que se estende desde as vísceras em milhões de terminais, passando pela complexa rede nervosa de ligação à espinal-medula, que juntamente com o sistema periférico, somático e autónomo, está por sua vez ligada ao sistema nervoso central, através do bolbo raquidiano que se une ao encéfalo, onde se encontram os hemisférios cerebrais e as zonas corticais do córtex cerebral, incluindo o cerebelo, o mesencéfalo constituído pelo tálamo e pelo hipotálamo, o miencéfalo e até os sistemas límbico e reticular, e finalmente no telencéfalo, o cérebro, propriamente dito, ou a massa cinzenta com as circunvoluções, os sulcos, e os diversos lobos e áreas determinadas para — pensa-se — determinados fins. Isto em síntese.

O cérebro é o conjunto de muitos milhões de células nervosas — neurónios — insensíveis à dor, protegidos pela caixa craniana, com ramificações — axónios — que as interligam eléctrica e quimicamente — sinapses — por estímulos provocados pelos diversos neurotransmissores (tirosina, dopamina, adrenalina...).

Por serem extremamente sensíveis e extremamente complexas, as células reagem ao menor estímulo recebido, quer de todo o sistema nervoso e do próprio corpo, quer de outras células pares, formando quantidades inimagináveis de cadeias energéticas. Não é possível à ciência actual fazer cálculos exactos respeitantes à actividade cerebral. Estimativas referem para um cérebro humano o peso de 1350 gramas, 14 biliões de neurónios, cada neurónio podendo ter de cem a mil impulsos por segundo, causando de seis a sessenta mil sinapses em simultâneo, podendo existir em cada 2,5 cm cúbicos de massa cerebral 600 milhões de sinapses.

Esta energia, eléctrica, gerada por processos bioquímicos dos neurónios, com todos estes movimentos e paragens, faz com que cada neurónio transmita para outros o que deve transmitir e reter o que deve ser retido. O conjunto dos movimentos e paragens, em locais da rede cerebral, determinados naturalmente, faz cada parte do cérebro e o seu todo, funcionar para os fins para que existe.

E o cérebro existe para permitir ao homem um elevado potencial de captação, registo, transformação, criação e emissão de informação que o caracteriza como animal superior. O cérebro é o suporte físico — pelos neurónios que guardam a informação e pela actividade eléctrica permanente entre eles — de todas as propriedades que caracterizam ou definem o ser humano, tais como: inteligência, sabedoria, conhecimento, memória, mentalidade, personalidade, identidade, imaginação, pensamento, consciência, linguagem, cultura, religião, etc.  Pois todas estas propriedades só existem no homem porque este possui um cérebro.

O cérebro funciona com energia eléctrica autoproduzida pelas diferentes cargas entre os terminais neuronais. A energia é permanentemente alterada conforme a quantidade e características dos estímulos recebidos do exterior, a sua manipulação interna, e a necessidade de criação e exteriorização. Para o cérebro funcionar perfeitamente precisa de duas condições essenciais: que seja naturalmente saudável num corpo saudável com boa irrigação de sangue carregado de oxigénio, e que a sua estruturação mental seja bem organizada pelo indivíduo, ou seja, que tenha equilíbrio quer biológica quer psicologicamente. O excesso ou falta de sangue provoca danos neurológicos e o excesso ou falta de informação provoca danos psicológicos.

Todo o funcionamento do cérebro, e do homem como ser único de actividade cerebral racional consiste na memorização de dados de informação e na sua transformação condicionada pelos dados anteriormente memorizados, para posterior utilização. Assim, pondo de parte as deficiências neurológicas e anatómicas, o cérebro começa por registar dados, cada neurónio ou conjunto de neurónios grava uma unidade de informação. Aos poucos o cérebro começa a criar ideias. Os neurónios “trabalham” as unidades de informação até estarem organizadas ou estruturadas. Esta sucessão enorme de “gravação” de unidades de informação (trinta por segundo aproximadamente), após devidamente “trabalhada” forma tudo o que o homem tem de psicológico — ideias, conhecimentos, planos, pensamentos, mentalidade... A informação recebida posteriormente é organizada tendo em conta a informação recebida anteriormente, de uma forma cumulativa e integrante, ou seja, os neurónios distribuem a nova informação conforme o que já está memorizado.

Todo o envolvimento psicológico humano está retido na memória. A memorização é a principal função do cérebro, pois todas as outras estão dependentes dela. Mas a memorização pode ser consciente ou inconsciente, e a transformação ou manipulação de dados na memória e a sua exteriorização também pode ser consciente ou inconsciente. Teorias dizem que só usamos conscientemente cinco por cento do cérebro. No entanto, consciente ou inconscientemente, todo o nosso cérebro se compõe de um emaranhado de conexões eléctro-bioquímicas em que cada neurónio condiciona o encaminhamento da informação pelos meandros da memória.

O cérebro é o órgão mais atractivo para o mundo médico- científico actual, e do qual se sabe menos. Neurologicamente todos os dias se fazem novas descobertas, com cada vez mais evoluída tecnologia. Certamente essas descobertas neurológicas contribuirão para um melhor conhecimento psicológico do cérebro.

Por enquanto, o cérebro continua a ser um grande enigma para o homem.

 

 

 

 


publicado por sl às 01:48
link do post | comentar | favorito
|

temas recentes

Novo Blog

Linguagem

Liberdade

Lei

Justiça

Inteligência

Instinto

Informação

Inconsciente

Imaginação

Ilusão

Igreja

Identidade

Ideia

Homem

História

Glória

Futuro

Filosofia

Felicidade

Fantasia

Família

Fama

Existência

Evolução

Eternidade

Espírito

Esperança

Espaço

Escrita

Equilíbrio

Energia

Emoções

Educação

Economia

Dor

Dinheiro

Deus

Destino

Desporto

Desejo

Cultura

Consciência

Conhecimento

Comunidade

Comunicação

Civilização

Ciência

Cérebro

arquivos

Setembro 2010

Março 2010

Novembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

mais sobre mim


ver perfil

seguir perfil

. 3 seguidores

tags

todas as tags

pesquisar

 
Se gostava de obter todos os textos de A a Z, envie o seu pedido para viaverita@sapo.pt!
SAPO Blogs

subscrever feeds