Sábado, 28 de Julho de 2007

Desporto

DESPORTO

 

 

Algumas modalidades desportivas consistem num circuito fechado, no qual a linha de partida é também a linha da meta. Os atletas terminam a prova exactamente no mesmo local onde a iniciaram. Quando em competição, qualquer atleta ou conjunto de atletas e seus equipamentos, limitam-se a uma série de regras objectivas e limitativas. O espaço, tempo, velocidade, movimento, acção, direcção, potência, resistência, perspicácia, atenção, técnica e precisão, são algumas das variantes que condicionam decisivamente o exercício e resultados desportivos. Mas, uma vez terminada a competição, nada mais significam até acontecer nova competição. E entre uma e outra competição apenas existem treinos de aperfeiçoamento.

No futebol, o desporto mais popular em todo o mundo, após cada desafio de noventa minutos, em que cada equipa sai vitoriosa, empatada ou derrotada, resta aguardar novo encontro, e de encontro em encontro completar um campeonato, e outro, e mais outro. E de cada campeonato local passar para campeonatos regionais, nacionais, e internacionais ou mundiais. — Entre o mais local e o mais mundial dos desafios, apesar das diferenças da competição, as regras da modalidade são sempre as mesmas.

Na fórmula 1, o desporto mais caro do mundo, após voltas e mais voltas na pista, e se o piloto conseguir chegar com a sua máquina ao fim, resta pontuar, ou não, preparar nova prova noutra pista de outra parte do mundo, e voltar a repetir as voltas. Até completar o campeonato. E no ano seguinte outro se repetirá,  diferente, mas igual.

Nos jogos olímpicos, cada quatro anos, milhares de atletas de todo o mundo reúnem-se para competirem em dezenas de modalidades. E no fim, regressam a casa com o ouro, prata ou bronze, ou simplesmente com a esperança de voltarem daí a quatro anos, para tudo se repetir.

O desporto é assim. Compete-se e repete-se. Corre-se para não ir a lado nenhum. E será assim enquanto vida houver.

Desde os antigos jogos tradicionais, passando por todas as modalidades institucionalizadas e olímpicas, aos modernos desportos radicais, todos os desportos são actividades limitadas, conhecendo-se prévia e matematicamente, todas as probabilidades de obtenção de resultados, restando apenas a sua concretização.

Fazer qualquer coisa por desporto é fazê-la pelo simples prazer de a fazer, sem qualquer objectivo importante. É um acumular de resultados, que podem ser positivos ou negativos, mas que para o verdadeiro desportista não são mais importantes que a própria prática.

O desporto tem uma prática constante e uma evolução lateral. Apenas evoluem as regras particulares que acompanham a evolução dos equipamentos. Não é o desporto que evolui, mas as formas de o praticar.

Apesar da passividade do desporto ser elevada, ele ocupa um lugar de referência em toda a vida humana, e por várias razões.

O desporto é simples. É popular. Não é necessário ser-se um génio para ser um bom desportista. Assim, muitos o podem praticar, mas muitos mais ainda o podem compreender, logo, movimenta massas. Massas de pessoas que, por serem civilizadas, têm tempos de ócio, que preenchem com actividades simples, mas de grande envolvimento social. A movimentação social, pelo desporto, gera referências de identidade ao participar, assistir ou pertencer a um clube ou modalidade, e gera afirmação e realização individual por parte de quem pratica. E se a prática se destaca é-se aclamado publicamente. O desporto gera orgulho, glória e fama.

E dos valores desportivos, por vivermos numa sociedade economicista, passamos para os valores económicos. Como o desporto movimenta massas, então o dinheiro entrou também no desporto. Pratica-se e fomenta-se o desporto por dinheiro. Grandes patrocínios e grandes engenharias publicitárias, a par de grandes salários e de grandes prémios, e ainda a par de grandes produções e grandes transmissões, transformaram o desporto numa enorme máquina que gera e movimenta milhões, e que gera e movimenta poder.

Cada nova taça é só mais uma para a sala de troféus, mas o movimento económico-social gerado em torno dela, é cada vez maior e mais complexo, e esse é o que mantém vivo o desporto.

 

 

 

 


publicado por sl às 01:35
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 6 de Dezembro de 2008 às 22:40
tem alguma oisa a ver com desportos de massa?


De sl a 10 de Dezembro de 2008 às 00:30
Não tenho nada sobre desportos em massa


Comentar post

temas recentes

Novo Blog

Linguagem

Liberdade

Lei

Justiça

Inteligência

Instinto

Informação

Inconsciente

Imaginação

Ilusão

Igreja

Identidade

Ideia

Homem

História

Glória

Futuro

Filosofia

Felicidade

Fantasia

Família

Fama

Existência

Evolução

Eternidade

Espírito

Esperança

Espaço

Escrita

Equilíbrio

Energia

Emoções

Educação

Economia

Dor

Dinheiro

Deus

Destino

Desporto

Desejo

Cultura

Consciência

Conhecimento

Comunidade

Comunicação

Civilização

Ciência

Cérebro

arquivos

Setembro 2010

Março 2010

Novembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

mais sobre mim


ver perfil

seguir perfil

. 3 seguidores

tags

todas as tags

pesquisar

 
Se gostava de obter todos os textos de A a Z, envie o seu pedido para viaverita@sapo.pt!
SAPO Blogs

subscrever feeds